Burza – muito além de facas artesanais, 300 anos de tradição, excelência e amor pelo ofício

Home / Reviews / Burza – muito além de facas artesanais, 300 anos de tradição, excelência e amor pelo ofício


Como havia dito pra vocês, semana passada estive em Tirandentes|MG a convite da Burza – Atelier de Artes e Ofícios que produz facas artesanais. Mas muito além de conhecer a história de uma empresa que tem mais de 300 anos de tradição é conhecer a história de luta, honra e amor da família de Woldy Zacarowyskini – este senhor aí da foto, mas conhecido como Russo.
Minha história com a Burza começou há 3 anos, quando ganhei de presente do meu padrinho, primo e amigo Cléssio Murilo uma faca da Burza do modelo chef doméstico e foi assim que a Dona Zhayra me achou na internet e no dia 31 de julho deste ano, recebi um e-mail muito carinhoso de uma pessoa que parecia já me conhecer há anos. Engraçado como o destino aproxima pessoas especiais. E assim fomos a Tiradentes|MG conhecer pessoalmente como são feitas estas obras de arte que são as facas da Burza.
A história da Burza você pode ver no site, mas a história real de vida, eu pude conhecer mesmo quando cheguei até a fábrica e a empatia e carinho com esta família foi a primeira vista. Sorte, acredito que não, foi destino mesmo, porque me sentia em casa há cada momento que estava ao lado deles. Engraçado isso né. Bom, o post vai ser mais longo hoje, mas vale a pena vocês lerem, prometo.

O Russo é descendente direto dos cossacos. Os Cossacos são muito famosos pela sua coragem, bravura, força e capacidades militares, especialmente na cavalaria, mas também pela capacidade de auto-suficiência. A sua importância e força militar eram tão grandes, que mais tarde, durante a sua integração na Rússia, foi até criada uma unidade militar de Cossacos. Originalmente, este povo ruteno era constituído por camponeses fugitivos, que escapavam ao controlo dos senhores da guerra dos feudos polaco e moscovita, rumando assim para o sudeste europeu, onde se estabeleceram. É importante dizer que cossacos são diferentes dos russos. Para os cossacos é muito mais importante ser do que ter é essa foi a grande lição que aprendi semana passada e que me marcou muito.
Nicolay Zacarowyskin (1.692) da 1ª geração da família Burza, começou sua história com as armas. Já havia uma tradição na época que os sabres cossacos não quebravam, devido a forma que o aço era forjado e manuseado. Nicolay era um ex-combatente que perdeu a perna e começou a estudar e a fabricar espadas. As espadas dele começaram a ficar famosas e depois de fazer um par de espadas para um conte, o conde ficou tão encantado com a beleza e qualidade delas que escreveu uma carta a Nicolay dizendo que as espadas eram uma tempestade em combate e foi aí que surgiu o nome Burza que significa – tempestade.
Enfim, em meados de 1.951 a 8ª e 9ª gerações vieram para o Brasil e lá estava o Russo, com os seus 10 anos na época. Se instalaram no Paraná, na cidade de Castro, onde vieram como lavradores e assim foi montada a 1ª cutelaria. Em 1.970 Russo foi para São Paulo e montou também uma cutelaria, onde trabalhava para o pai e aos finais de semana ele fazia ferraduras para o Jockey Clube para ganhar o seu dinheiro. Foi aí que numa viagem para Porto Alegre, Russo teve que ir a São Leopoldo e foi quando conheceu Zhayra e depois de um tempo se casaram.

A escolha de Tiradentes|MG foi pelo simples fato de estarem no centro do Brasil, assim facilitaria para os clientes e fornecedores caso precisassem ir até a fábrica. Mas a paixão pela cidade foi imediata, quando Russo veio conhecer Tiradentes|MG em poucos dias já estavam instalados com toda a mudança e filhos. A casa da família e a fábrica teve a sua primeira sede na Casa do Chafariz, um ponto turístico da cidade e depois de alguns anos, acharam um belíssimo tereno na entrada da cidade e começaram a montar uma vila russa do século XVII, onde todo o sistema construtivo, os materiais e ferragens são os mesmos utilizados na época, ou seja, um pedacinho da Rússia dos czares, da época da poderosa Cavalaria Cossaca, aqui no Brasil. A Vila Russa é uma homenagem as gerações passadas e uma mostra para as futuras gerações da família. Na vila funciona a ferraria, a marcenaria, a loja a casa dos pais e mais recentemente estão construindo 3 casas para 3 filhos que tocam o negócio com os pais – Misha, Bob e Dani. Cada construção da vila russa representa uma coisa, por exemplo: a loja é a igreja, a ferraria é o estábulo, o escritório é a cadeia, a casa da família é a casa senhoril e assim por diante. A Burza está em Tiradentes|MG há 14 anos.

Hoje quem comanda a produção é Misha, a primeira
mulher a ocupar o posto. Mas não foi apenas por conhecimento, pois além de passar a vida ao lado do pai, Misha aprendeu tudo sobre a técnica, aproveitando a sua infância na oficina, brincando com ferramentas muito pouco usuais ao invés de bonecas. Misha é engenheira mecânica e aprimorou as técnicas aprendidas com o pai numa especialização em usinagem (CNC – Computer Numeric Control). A oficina, muito bem estruturada, mistura ferramentas simples com máquinas de última geração, todas modificadas pelo próprio Russo para atender o padrão de qualidade na produção das facas. As facas são feitas em aço austríaco e os cabos em madeiras de demolição e de antigas construções, cortadas há mais de 100 anos. Hoje a fábrica tem mais de 45 variações de facas onde 75% do trabalho é feito manualmente, pela própria Família Zacarowyskini e por uma equipe de funcionários qualificados e muito bem treinados.

 

Apesar da arquitetura singular da Vila Burza o espaço não é um ponto turístico, mas acaba atraindo a curiosidade de um público bastante grande, por isto que a Burza teve que adotar algumas regras, até porque é a casa da família e para evitar o congestionamento e maiores problemas algumas regras foram adotadas, para que a equipe Burza consiga manter o padrão de atendimento aos clientes.

Atendimento com hora marcada (32)3355-1561

segundas-feiras a sábados – das 10h até 19h
domingos – 10h até 14h
inclusive feriados
IMPORTANTE: Férias coletivas de 11 a 30 de setembro.
Nos próximos posts vou falar um pouco sobre as facas e a qualidade do aço e mostrar pra vocês todas as facas que ganhei com muito carinho da Dona Zharya. Aqui embaixo duas fotos que vou guardar pra sempre, apesar da recomendação dela para que eu não publicasse a nossa foto, vou ser travessa (como ela citou), mas impossível eu não registrar e lembrar de uma pessoa tão especial!

 

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.