Todos os artigos com a tag: massa

Receita de conchiglione recheado de queijo cottage e molho de atum

quarta-feira, 15 janeiro 2014

Pausa na salada, porque ninguém é de ferro, mas não precisa enfiar o pê na jaca.
A receita de hoje tem carboidrato, mas é mais comportada e saudável: queijo cottage e atum.
E não é que estou gostando desse danado do cottage!

Eu gosto dessa massa, pois como ela é grande dá pra fazer as porções já pré determinadas. Fiz o prato com 7 a 8 conchigliones. Dá tranquilo para uma refeição equilibrada e sem exageros. O atum dá um toque a mais no molho vermelho.
Continue Lendo

Comentar! Comentários: 8

Receita de nhoque com molho de frango da Dona Zhayra

quinta-feira, 14 novembro 2013

Já que esta semana estou na nostalgia total com o final de semana passado no Resort Costão do Santinho em Florianópolis|SC, bateu uma outra saudade também, de uma pessoa simplesmente maravilhosa que conheci em Tiradentes|MG, quando fui visitar a fábrica da Burza lembram – é a Dona Zhayra. Oh pessoa sangue bom viu! Quando você conhece uma pessoa assim, ela realmente fica marcada no seu coração e tive a impressão que já conhecia ela há anos. Sabe aquela coisa de química, pois é, de tão especial que ela é, a visita foi inesquecível e ainda trocamos e-mails, aliás ela me enviou um e-mail esta semana que ainda preciso respondê-la.

E nesta visita inesquecível tive a honra de poder degustar este nhoque maravilhoso que é uma receita dela. Preparado especial por ela pra mim e para o marido, nos sentimos em casa com aquela família linda. Foi o melhor nhoque que já comi na minha vida. Comeria de novo e de novo e de novo. Gentilmente a Dona Zhayra me cedeu a receita e aproveito para mostrar pra vocês hoje em primeira mão. Espero que gostem, pois foi muito especial pra mim.
Continue Lendo

Comentar! Comentários: 0

Receita de talharim ao molho vermelho com azeite de laranja

terça-feira, 22 outubro 2013

Eh coisinha abençoada é uma massinha assim, bem confortante e que fala pra gente: “me abraça”. Essa fase inicial de academia tá dureza, mas até que tá fácil gente, mas além de puxar ferro, fazer aula de zumba (adoro) e aula de abdominal (queima tudo), ainda tô maneirando a boca pra ver se desfilo 1/2 barriga de tanquinho na praia no final do ano. É só 1/2 né, porque uma inteira acho que ainda demora mais um pouquinho… kkkkk… mas vamos com fé que a gente chega lá.

Esse talharim aí, fiz outro dia desses e aproveitei para usar um azeite de laranja TOP que ganhei de uma amiga muito especial (já usei ele naquela salada com melancia, lembram). Eu adoro massa com molho vermelho, principalmente com aqueles pedaços de tomate. Ah, usei aquele filé mignon suíno defumado que já reinou em alguns pratos por aqui.
Continue Lendo

Comentar! Comentários: 8

Receita de mini lasanha à bolonhesa

sexta-feira, 20 setembro 2013

Tá bom, vamos combinar, lasanha é um prato difícil de não gostar. O marido gosta tanto, que está última lasanha que fiz ele falou: “Dani, essa foi a melhor lasanha que você já fez. Antes era a última, agora é essa.” Enfim, já tinha um tempinho que não fazia lasanha e no último final de semana me deu uma vontade doida de comer, então aproveitei para repaginar a danadinha e servir em panelinhas fofas, já que a foto de lasanha que eu tenho aqui no blog tá horrorosa, valia um novo clique. Ficaram um charme, vocês concordam? É bem difícil de fazer outra receita aqui em casa, porque a número 1 e absoluta é a lasanha bolonhesa. O marido sempre agradece, mas prometo fazer outra receita qualquer dia destes. Ah, se a fome for muita, duplique o número de panelinhas… kkkkk…
Continue Lendo

Comentar! Comentários: 4

Receita de capeletti caseiro

quarta-feira, 07 agosto 2013

Lembram da minha primeira experiência com massa caseira, que fiz semana passada? Então, havia falado pra vocês que queria fazer capeletti, com a mesma massa. Fui lá perguntar pra dona da receita da massa (a Fabi do Figos & Funghis) se daria certo. Ela disse que sim, então lá fui eu. Mas uma coisa, se você for se arriscar, faça para poucas pessoas, tipo assim só pra duas… kkk. Eu fiz pra seis, então haja massa gente. Quiz fazer eles maiores para ficarem bonitões no prato e como eu já estava cansada e a massa não acabava mais, acabei esquecendo de tirar a foto dele montado, assim como fiz do parpadelle na semana passada. Mas pra resolver o problema da visualização, pedi licença pra minha amiga Tati – do Panelaterapia, que tinha uma imagem passo a passo bem bacana no blog dela, então coloquei aqui no post pra vocês entenderem como se monta.
Continue Lendo

Comentar! Comentários: 11

Receita de massa caseira e porcelanas da Germer

quarta-feira, 31 julho 2013

Se tinha uma receita que eu morria de vontade de fazer e ainda não tinha feito era a massa caseira. Juro pra vocês, nunca tinha feito em casa, mas depois desta tentativa, que foi um sucesso, eu me apaixonei. Que delícia gente. E pra quem diz que não dá pra fazer massa caseira sem cilindro, ilusão porque dá sim. Eu não tenho o utensílio, me arrisquei e foi um sucesso total!

É claro que optei por uma massa mais fácil, já que ia cortar na faca mesmo, então fiz um parpadelle, que é mais larga. Obviamente que para fazer um espaguete tem que usar o cilindro. Para esticar a massa eu fui de rolo de macarrão mesmo e foi super tranquilo. Fiquei muito surpresa, de verdade, porque estava com medo da receita ser um fiasco. Fiquei metida agora, tô querendo até fazer capeletti da próxima vez… kkkkk.
Continue Lendo

Comentar! Comentários: 13

Receita de farfalle ao pesto – do livro A Refeição em Família

terça-feira, 16 abril 2013

Pra quem está acompanhando o blog, sabe que estou participando de um concurso entre blogueiros a convite a Editora Agir, mas pra quem não sabe pode acompanhar esta experiência aqui. Hoje mostro pra vocês a primeira receita que fez parte do menu do Cozinha Travessa – um delicioso farfalle ao pesto.
Continue Lendo

Comentar! Comentários: 7

A Refeição em Família – de Ferran Adriá | Menu do Cozinha Travessa

quinta-feira, 11 abril 2013

Recentemente fui convidada pela Editoria Agir para participar de mais um concurso entre blogueiros e cá estou eu. A proposta em questão foi elaborar um menu que faz parte do novo livro do Ferran Adriá, conceituado chef espanhol: A Refeição em Família. Os menus foram sorteados entre os blogueiros e como todo post deste tipo é mais longo, peço a paciência de vocês e os convido a entrar nesse fascinante mundo da gastronomia. O prêmio é uma quantia em dinheiro atraente, por isso, enquanto estiverem lendo o post, cruzem os dedos pra mim.

ferran-adriáMas antes de falar mais sobre o concurso,vamos falar um pouco do autor do livro e o seu famoso e lendário restaurante. O El Bulli é localizado em Roses, que fica na Costa Brava espanhola. Foi descrito pelos críticos como “o mais imaginativo gerador de haute cuisine no mundo” e já arrebatou 3 estrelas do Guia Michelin. Detém também o recorde da prestigiada revista gastronômica “Restaurant”, ficando no ano de 2002 e de 2006 a 2009, no primeiro lugar do ranking, distinguindo-se como “o melhor restaurante do mundo”, na lista dos 50 melhores. E pra quem não sabia, o El Bulli abria somente por um período de 6 meses durante o ano. Mas a triste notícia é que o El Bulli fechou suas portas no dia 30 de julho de 2011.

E quando souberam que o El Bulli iria fechar, Ferran Adriá e Eugeni de Diogo (um dos chefs líderes do restaurante) resolveram criar esse livro, que reúne todas as receitas publicadas no A Refeição em Família. Na verdade estamos falando da família do El Bulli – os 75 funcionários do restaurante – que todos os dias antes da abertura do El Bulli se sentavam para jantar juntos. E a resposta para isso era simples: eles acreditavam que, se estivessem comendo bem, estavam cozinhando bem. E aqui está, um trabalho de 3 anos destes 2 chefs de presente para cozinharmos em casa, ou seja, a comida que eles gostavam de comer no El Bulli, uma culinária simples e descomplicada, de maneira organizada e com receitas adaptadas para nós, cozinheiros domésticos. A filosofia da cozinha profissional para a culinária caseira.

O livro é muito prático, pois ensina coisas básicas da cozinha como os principais utensílios, as compras, a organização que devemos ter antes de começar a cozinhar (mise en place), os produtos do dia a dia e como preparar receitas básicas  como molhos e caldos. Aborda também sobre o armazenamento de alimentos em casa, sobre comida congelada, ervas e especiarias, enfim, achei um livro muito bem elaborado e o melhor, qualquer pessoa que tem noções muito básicas na cozinha, conseguirá preparar as refeições propostas pelos chefs. E assim como como chefs deste livro, eu também acredito que se você não come bem é porque ainda não tentou.


Bom, mas vamos a parte mais gostosa – o menu do Cozinha Travessa.
Comer em família é um ato muito comum pra mim. O livro fala da família do El Bulli e aqui eu falo da minha família. Quando pequena meus  pais sempre comeram à mesa, com todos reunidos e até hoje é assim quando almoço por lá. Em casa eu levei este hábito comigo e quase sempre, eu e o meu marido almoçamos em casa e agora, com o Edu não é diferente. Aos finais de semana a coisa fica mais especial, pois temos mais tempo para comer e desfrutar deste ato que é tão necessário em nossas vidas e para mim posso afirmar que é um momento muito prazeroso.

Assim como muitos de vocês, eu também não sabia cozinhar e foi em família que eu aprendi, com a minha mãe Marta e a minha avó  materna Divina, que hoje não está mais entre nós, mas que em muitos momentos me lembro dela quando estou cozinhando. E como disse o chef Ferran Adriá: comer bem não precisa ser caro. E isto é um fato. Comer bem só precisa de duas coisas: tentar fazer a sua comida e mais importante, fazê-la com carinho e amor. Essa é a grande essência da culinária.

O menu que foi sorteado para o Cozinha Travessa é muito simples, mas muito especial, por isso pensei numa coisa – a minha família de origem será minha família desde sempre e guardada no meu coração, mas as famílias que conquistamos ao longo da vida são de um valor incomparável e para fazer parte deste dia tão especial, convidei uma família que faz parte da minha vida, a família Queiroz Borges: André, Ismália e os pequenos Francisco e Ana Clara, nossos afilhados. E como toda família com filhos pequenos, temos as nossas particularidades de sempre: menino correndo e gritando na cozinha, mamando no sofá, tirando um cochilo e participando de tudo, tudinho. E a vida vai seguindo mais feliz assim, com a casa cheia de alegria!

Os preparativos, que no mundo gastronômico chamamos de mise en place, sempre fizeram parte da minha culinária desde que comecei a tomar gosto pra coisa. Não sei se é porque sou organizada demais, mas enfim, a prática facilita muito o preparo de qualquer refeição, mesmo que seja um pão com o ovo. O primeiro prato do menu escolhido (que foi a refeição 13 do livro) era um farfalle ao pesto. Eu já tinha o pesto pronto e congelado, assim como o Ferran Adriá ensina no livro, então a entrada foi muito fácil e não perdeu o seu charme.

Farfalle ao pesto

O segundo prato do menu era um peixebrema à moda japonesa. Bom, o peixe indicado no livro era um dourado de água salgada, mas como eu não moro na Costa Brava espanhola e o mar é bem distante aqui de Minas Gerais, segui ao pé da letra o conselho de Ferran e estabeleci contato pessoal e objetivo com o dono da peixaria, que por sinal foi muito simpático. E discutindo a receita com ele, mostrando o livro e tudo, ele me orientou a usar um peixe típico da região e que  me daria um resultado muito próximo – o tucunaré. Eu fiquei muito segura com a indicação dele e assim consegui um ingrediente o mais fresco possível para executar o prato. A receita pedia para fazer no vapor ou grelhar, mais eu fui mais abusada ainda e resolvi fazer do jeito mais comum, muito usado por aqui, principalmente pelos pescadores da redondeza – assado na brasa. No caso desta receita eu me senti completamente seguindo os conselhos do chef e me adaptando ao clima, região, costumes, necessidades, enfim, eu tentei, me arrisquei e deu muito certo.

Brema à moda japonesa

E para encerrar essa deliciosa experiência uma sobremesa que de tão simples parece boba: tangerinas com cointreau. Aqui em Minas é muito comum a mexerica, mas eu tive a sorte de encontrar tangerinas mesmo no supermercado. Essa foi muito fácil de preparar e depois que todo mundo devorou os peixes eu corri pra cozinha e finalizei a sobremesa. A mistura de sabores surpreendeu a todos e essa sobremesa com certeza vai fazer parte das minhas sobremesas favoritas agora.

Tangerinas com cointreau

Bom, é isso minha gente e como disse o meu amigo Renan Castro, que trabalha comigo – o olho conta para a boca o gosto que a comida tem. O sabor dos pratos eu posso garantir, por isso caprichei bastante nas fotos para vocês se sentirem lá em casa. Agora, toda esta experiência está nas mãos de um júri composto pela equipe de marketing da Editora Agir e seja o que Deus quiser.

O que mais posso falar para vocês é que fazer refeições em família faz parte do meu dia a dia. Como mãe de uma criança de 2 anos, eu tenho a obrigação de proporcionar momentos assim para o meu filho, pois além de resgatar toda a minha infância e tudo o que eu aprendi com os meus pais, eu posso incentivá-lo a ter uma alimentação saudável, proporcionando uma boa qualidade de vida. Acredito que estar em família é dividir ocasiões assim: são momentos que ficarão marcados para sempre na vida dos nossos filhos e também nas nossas vidas.

Desejo sorte aos demais blogueiros, os quais alguns deles são meus amigos.
E  se vocês quiserem conferir os demais menus, aqui estão os blogs da galera:
Cozinha Pequena
Gordelícias
Panelaterapia
Pitadinha
Prato Fundo
Receitas Gourmet
Sabor Sonoro


Ah, semana que vem, vou postar as receitas dos pratos que vocês estão vendo neste post, mas antes disto vai rolar aqui no blog um sorteio do livro “A Refeição em Família”. Mas já conto mais detalhes no próximo post.

Obrigada pela torcida e assim que sair o resultado, conto pra vocês.

 


Comentar! Comentários: 10

Receita de conchiglione de bacalhau com molho branco

segunda-feira, 25 março 2013

Conchiglione de bacalhau com molho branco

A semana é de feriado… adoro… e é a semana que antecede a Páscoa, época de renovação e de muita reflexão, independente da religião. Época de perdoar e de doar, não que o restante do ano não seja, mas vamos aproveitar o momento para refletir sobre a vida e sobre as nossas atitudes. Conheço muita gente que não come carne na quaresma, então vamos aproveitar as deliciosas promoções de bacalhau e começar a pensar no almoço do domingo de Páscoa ou da sexta-feira santa. A escolhida da vez, uma massa.

Continue Lendo

Comentar! Comentários: 0

Receita de espaguete com tinta de lula, frutos do mar e lombo de bacalhau ao forno

segunda-feira, 18 março 2013

Espaguete com tinta de lula e frutos do mar com lombo de bacalhau ao forno

Quer deixar o meu marido feliz e ter ingredientes assim em casa para ele se divertir. Final de semana destes, na companhia de queridíssimos amigos: Nádia e Dauro, passamos a tarde na cozinha, jogando conversa fora e namorando esse lombo de bacalhau dourar no forno. Alguns ingredientes não são muito fáceis de se achar aqui na minha cidade, então quando vimos este espaguete com tinta de lula lá na Cachaçaria do Dedé & Empório, levamos logo pra casa, para preparamos um prato diferente e saboroso.

Ah, lá na Cachaçaria do Dedé & Empóriotambém tem esse maravilhoso lombo de bacalhau dessalgado. Aliás, vou aproveitar e falar para vocês sobre as vantagens de se comprar o bacalhau dessalgado. Vocês sabiam que é muito mais vantajoso comprar o bacalhau congelado dessalgado,  pois fazendo isso vocês vão aproveitar 20% mais do bacalhau depois que ele descongelar, se fosse dessalgá-lo em casa, a perda é bem grande. E aqui vão algumas dicas importantes:

– o bacalhau congelado dessalgado deve ser descongelado em água temperada com sal e leva cerca de 1/2 hora, à temperatura ambiente. Esta forma de descongelar é mais rápida e permite corrigir o sal das partes mais finas de forma a homogeneizar toda a posta;
– o bacalhau congelado dessalgado evita a proliferação de bactérias, uma vez que este processo já é feito e controlado industrialmente.
Continue Lendo

Comentar! Comentários: 4